×

A iluminação como um dos elementos mais fascinantes do design

A iluminação no design de interiores tem o poder de modificar o caráter do ambiente e valorizar cada espaço individualmente.

Publicado em 12/03/2020 | Por_Móveis para casa

Marcella Iasbik e Adriane Verbena

Marcella Iasbik concluiu a graduação em Engenharia Civil em 2016 pela FUPAC Ubá/MG. Logo após se formar, embarcou em um novo desafio e cursou Design de Interiores pelo IBDI, em São Paulo. Hoje, tem um escritório com sua mãe, Adriane, e atuam há 5 anos no mercado de arquitetura e interiores. Juntas, já desenvolveram projetos em MG, RJ, SP e GO.Adriane Verbena tem uma vasta experiência no ramo. Está no mercado há mais de 20 anos e já trabalhou em diversas lojas do setor moveleiro. Há 5 anos seguiu o seu caminho como decoradora e, neste momento, começou a parceria com a sua filha, Marcella.

Após alguns anos de colaboração, pode-se dizer que ambas são muito realizadas profissionalmente e fazem o seu trabalho com muito amor.

Um projeto de interiores é constituído por muitos elementos, tais como materiais de revestimento, mobiliários, cortinas, entre outros. E um dos elementos fundamentais para que um projeto fique completo, aconchegante e ainda mais confortável é a iluminação.

É importante destacarmos que existem basicamente dois tipos: a iluminação natural e a artificial.

A iluminação natural (também conhecida como luz primária), como o próprio nome diz, é aquela já existente na natureza, ou seja, a luz que o sol fornece. Este tipo de luz é de extrema importância em uma edificação, pois ela garante o equilíbrio e a sensação de bem-estar, uma vez que a exposição moderada à luz solar é saudável e benéfica ao ser humano, pois impulsiona uma série de elementos fundamentais ao corpo. Além disso, a luz natural, quando bem aproveitada, pode reduzir até 30% o consumo de energia elétrica.

Casas mal iluminadas e com pouca incidência de luz solar, geralmente, são casas frias, sombrias e úmidas, sendo locais propensos para a aparição dos indesejáveis mofos. Ou seja, a iluminação natural trás inúmeros benefícios para uma casa, por isso deve ser aproveitada da melhor forma possível.

A outra forma de iluminação existente é a artificial, que vem para completar a iluminação necessária para um ambiente ser aproveitado confortavelmente durante o período do dia e da noite.

Exemplo de iluminação sala de estar e de jantar

Quando o assunto é design, é com muita convicção que afirmamos que nenhum projeto de interiores está completo sem um projeto luminotécnico que valorize o ambiente corretamente. Dizemos isso porque a luz artificial não é somente um elemento básico cuja função é iluminar. A luz artificial é capaz de manipular todo um ambiente e despertar diferentes sentimentos e sensações nas pessoas que o utilizam.

Vamos mostrar um exemplo: Ao projetar uma sala de aula nós temos que ter o cuidado de utilizar lâmpadas fortes e com uma temperatura mais fria (tonalidade branca) para despertar interesse e atenção nos alunos.

Já no luminotécnico de um quarto, as luzes são predominantemente amareladas, para gerar aconchego. O que acontece se colocarmos exclusivamente iluminação branca em um quarto? O quarto perde um pouco a sua função, que é de gerar bem-estar, comodidade e a também aquela sensação de acolhimento no momento que a pessoa quer relaxar. O contrário também não funciona bem. Se colocarmos lâmpadas quentes em uma sala de aula, o local que deveria ser para o aluno ficar atento e desperto será um local onde ele se sentirá relaxado, acolhido e, provavelmente, vai interferir no seu rendimento escolar.

Estes foram apenas exemplos para mostrar o quanto é importante que o profissional conheça os tipos de lâmpadas, as temperaturas existentes no mercado, luminância e diversos aspectos que fazem toda diferença na hora de fazer um projeto luminotécnico.

Exemplo de iluminação quarto aconchegante

Além de todo conhecimento exigido para se fazer um projeto de iluminação correto, também existe a parte estética. O arquiteto ou designer de interiores tem que ter o cuidado de estar sempre se atualizando sobre as novidades do mercado e as tendências nas mostras de decoração, pois surgem novos modelos a todo o momento.

Até poucos anos atrás, era muito comum termos somente 1 ponto de iluminação deixado diretamente na laje. Essa cultura permaneceu por muitos anos, inclusive muitas pessoas ainda gostam e utilizam este estilo. Porém, hoje em dia, as pessoas estão cada vez mais sentindo a necessidade de ter o auxílio de um profissional para que ele indique a forma mais moderna e atual para uma iluminação charmosa e que valorize elementos pontuais em um ambiente.

Por exemplo, a iluminação é um excelente elemento utilizado para destacar obras de arte, quadros ou peças de decoração que merecem um destaque a mais. Utilizando a lâmpada correta, na distância correta da parede e na temperatura adequada, é possível conseguir um efeito pontual na peça desejada, garantindo um charme a mais no ambiente.

Para fazer um bom projeto luminotécnico também é importante que ele seja pensado juntamente com o projeto de rebaixamento de gesso. É necessário um estudo preliminar, pois dependendo do modelo da lâmpada escolhida é preciso um rebaixamento maior no forro, para embutir o corpo da lâmpada.

Além disso, cortineiros também deixaram de ser somente um recuo no gesso para embutir a cortina. Hoje em dia, eles ganharam um componente a mais quando o assunto é estética, pois existe a possibilidade de iluminá-los, deixando-os ainda mais bonitos e dando um destaque a mais na cortina, que além da sua funcionalidade também é um elemento decorativo. Os rasgos, as sancas (normais e invertidas) e os recuos no gesso, atrelados a um bom projeto luminotécnico, também garantem estéticas cada vez mais bonitas.

Quando falamos em iluminação, temos uma variedade imensa de modelos, cores e estilos diferentes. Por exemplo: se o cliente é mais clean, podemos trabalhar com luzes indiretas, que fornecem este efeito de luminosidade e teto limpo. Se o cliente gosta do estilo industrial, podemos trabalhar com os famosos e queridinhos do momento os trilhos. Já para quem é um admirador dos velhos tempos, existem inúmeros modelos de pendentes no estilo retrô e vintage. Logo, o ideal é que o profissional converse com o cliente e entenda quais são suas preferências, seus estilos e qual sensação ele quer que a sua casa gere.

Exemplo de iluminação sala e escritório

“Uma boa iluminação é tudo! Assim como nos palcos, nas fotos… Ela também é a vida de uma casa”. E é com esta frase do autor Marcello Thadeu que terminamos nossa breve conversa sobre iluminação.

Expomos que a iluminação no design de interiores pode ir muito além de somente o fato de iluminar, ela tem o poder de modificar o caráter do ambiente e valorizar cada espaço individualmente. Por isso, consideramos a iluminação um dos elementos mais fascinantes do design. Ela é desafiadora!

Cada projeto traz consigo uma nova história, onde o desafio é sempre usar a iluminação para criar efeitos que sejam capazes de gerar sensações individuais. E sensação é subjetiva, assim como a luz. Você não consegue ver, mas consegue sentir.

Avalie esse post:
[Total: 2   Average: 5/5]

Siga nossa página no instagram e fique por dentro das novidades

@moveisparacasa.oficial
Colunistas

Cadastre-se para receber tudo sobre móveis

Você também pode se interessar por:

Seu Home Office decorado

Cabeceira de cama: escolha o modelo ideal

Conheça sobre os tipos de molas de colchões