×

Candy Colors: leveza e bem-estar ao décor

Tons delicados e suaves dos Candy Colors, um marco da década de 1950, continua em destaque nos projetos residenciais

Publicado em 12/05/2023 | Por_Júlia Magalhães

Escolher a paleta de cores é uma das partes mais gostosas do projeto. Afinal, elas atribuem personalidade e tem grande influência no conforto e bem-estar. As cores não só dialogam com a estética do décor de interiores, como também são capazes de expressar emoções. Um exemplo são as candy colors, tons pastel famosos que na tradução literal significa cores doces.

Essa leveza tão pueril a e satisfação que atinge nosso sensorial degustativo também evoca seus benefícios no colorido presente em paredes, mobiliários e objetos decorativos. A coloração clara, um marco da década de 1950, continua como uma tendência para a arquitetura de interiores de dormitórios, salas e cozinhas.

“A paleta candy color é sutil e nos conecta ao lado afetivo, quando nos lembramos da sala de aula e o giz de lousa que nossos professores usavam”, enfatiza a Carina Dal Fabbro, à frente do escritório que leva seu nome, e entusiasta das tonalidades.

Embora aclamados por sua expressão de elegância e delicadeza, quando usados em abundância, podem passar a impressão de desarmonia. A profissional aconselha que, neste tipo de situação, se combine estampas, texturas e nuances diferentes.

Aprenda a combinar cores em paredes e móveis

Segundo a arquiteta, a paleta candy colors propicia uma enorme vantagem na combinação de cores, não só para as paredes, mas para mobiliários em geral.

Com uma atmosfera retrô, a sala de jantar executada pela arquiteta Carina Dal Fabbro conta com uma estante rosa, uma geladeira antiga, que guarda coleções dos moradores, e a mesa tulipa, ladeada com cadeiras de metal com um verde menta semelhante ao antigo eletrodoméstico | Foto: Rafael Renzo

Neste projeto, o mix entre a paleta e objetos antigos trouxe uma atmosfera vintage para a sala de jantar. Fugindo da estrutura convencional de contar apenas com mesa e cadeiras, o ambiente realizado por Carina reúne itens que a transformam em um espaço que verdadeiramente emana a essência dos moradores.

Com um piso que imita o ladrilho hidráulico, a sala de jantar acolhe também uma estante que recebeu um toque superespecial. “Originalmente amarela, a peça foi pintada de rosa pela moradora e sua filha de cinco anos. Agora, sempre que estiverem a mesa, elas poderão contemplar o belo trabalho que fizeram juntas”, relembra.

Outro item valioso da sala de jantar é a geladeira retrô verde menta. Na família há muitos anos, a peça ganhou uma nova utilidade após a retirada do motor e hoje serve como armário para armazenar uma preciosa coleção de discos de vinil, fazendo uma parceria cativante com a peça de madeira.

Uma ambientação montessoriana pautada nas Candy Colors

Em se falando de dormitórios infantis, o estilo montessoriano segue requisitado pelos pais que buscam oferecer autonomia, liberdade e um mundo lúdico para seus filhos. Entre as cores eleitas, as candy colors, incluindo o verde, o azul e o amarelo-claro, são tonalidades muito presentes nesses projetos.

Para uma menina, a arquiteta Carina Dal Fabbro, mesclou tons de rosa em meia parede e complementou na decoração com almofadas, bichinhos de pelúcia e um abajur com tons de rosa. Para ela, a ideia do quarto foi incentivar o crescimento do senso de autonomia e independência da criança. “Ao pensar em uma decoração sob a perspectiva das crianças por meio da definição das cores, móveis e objetos ao seu alcance e na sua altura, o ambiente passa a oferecer a segurança e o bem-estar que o ambiente deve transmitir nessa fase da vida”, comenta.

No quartinho da menina, o rosa eleito pela arquiteta Carina Dal Fabbro se destaca na meia parede que deixou o décor ainda mais fofo | Foto: Rafael Renzo

Candy Colors: tons que não enjoam

Em uma clássica cozinha, nada mais gostoso que se deparar com uma cozinha azul bebê, que resgatam na memória um afeto das casas de nossas avós. A arquiteta sugere a escolha de uma cor que seja uma oposição às demais tonalidades presentes na decoração, como no projeto em foi usado um tom azul-claro na marcenaria.

Segundo a arquiteta Carina Dal Fabbro, o intuito deste projeto foi equilibrar uma mistura de bossa com praia em um ambiente em que os moradores sentissem a docilidade das memórias vividas nas casas de nossas mães e avós | Foto: Buzina de Imagem e Bruno Cardi
Nesta cozinha, a arquiteta Carina Dal Fabbro adotou as cores verde menta e cinza fendi com a proposta de elevar o frescor ao ambiente | Foto: Rafael Renzo

5 dicas para não errar usando Candy Colors

– Para ir se familiarizando, com os tons, comece com pequenos detalhes, como os acessórios decorativos;

– Se possível, escolha apenas um único móvel que receberá o tom pastel;

– Use as cores em móveis de madeira (deixa o ambiente mais acolhedor e suave);

– Combine a paleta candy colors com cores ‘off white’ como gelo, neve, bege, prata ou com tons terrosos (mais fortes);

– Utilize variadas texturas no ambiente.

Nessa sala de estar, a arquiteta Carina Dal Fabbro elegeu o verde-claro para colorir o teto e uma faixa na parte superior da parede. No mobiliário, rack azul-claro promove um agradável contraste com o sofá Z Foto: Rafael Renzo

A paleta de cores candy colors é adequada para qualquer tipo de decoração, sempre proporcionando charme e leveza para o espaço. À utilização de tons pastel nas almofadas de decoração é uma boa pedida, além de proporcionar mais conforto e sensação de aconchego para o ambiente.

Neste living realizado pela arquiteta Carina Dal Fabbro, as almofadas com cores da paleta candy color complementam o estilo contemporâneo do ambiente | Foto: Rafael Renzo

Avalie esse post:

Siga nossa página no instagram e fique por dentro das novidades

@moveisparacasa.oficial
Novidades em móveis

Cadastre-se para receber tudo sobre móveis

    Você também pode se interessar por:

    3 dicas para criar espaços multifuncionais

    Entenda a tendência de decoração em 2024: o maximalismo

    Veja como o design de interiores impacta sua saúde e humor