×

Como escolher as cores nos ambientes internos?

Nossa colunista, Aline Arruda, explica a composição de cada cor no ambiente e dá dicas incríveis de combinações

Publicado em 08/04/2020 | Por_Móveis para casa

Aline Pereira Arruda de Oliveira

Concluiu a graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Unifil- Centro Universitário Filadélfia- Londrina-PR em 2015. Ela fez Pós-Graduação em Arquitetura de Interiores: Projetos de Ambientes Comerciais e Residenciais –Unifil em 2016. Trabalhou em escritórios de arquitetura com projetos residenciais e comerciais. Atualmente é proprietária de uma loja/franquia (Mandale Chair Ourinhos) de cadeiras e afins, atuando na arquitetura de interiores.

Uma das maiores dúvidas ao pintar um ambiente é na escolha da cor das paredes de cada cômodo, afinal deve-se levar em consideração qual é o estilo do ambiente, qual a atividade desenvolvida ali, juntamente com o gosto dos moradores, e quais as emoções deseja-se naquele espaço. Por isso, a escolha da cor das paredes é o norte para toda decoração.

Além disso, a depender da cor escolhida, o ambiente ficará mais alegre, mais escuro, amplo, quente, luminoso… Enfim, é a coloração que vai conduzir que sensação teremos.

Primeiro Ponto:

Antes de aplicar a tinta nas paredes é importante consultar profissionais da área, com atenção aos mostruários de tintas, pois as cores variam conforme a marca do produto, técnica aplicada e um detalhe importante: a iluminação influencia – e muito – no tom da cor, lembrando sempre que a tinta tende a escurecer logo após a aplicação e clareia levemente após a secagem.

Sugerimos que sempre se pinte algumas amostras na parede espere a secagem. Outra dica é observar a tonalidade em diferentes horas do dia, pois o efeito ótico varia segundo a quantidade de luz e sua intensidade. Além disso, salienta-se que as cores dos ambientes estão diretamente ligadas à moda, sendo que anualmente há a criação de novas cores e tendências.

Antes de decidir qual cor você quer pintar seu ambiente, vamos descobrir as sensações que elas transmitem no espaço?

– Branco: além de ser uma das cores mais usadas, é a cor que transmite mais a sensação de limpeza, pureza e tranquilidade, além de ajudar bem a difundir a luz nos ambientes. Geralmente é usada em todos os tipos de cômodos, mas pouco aconselhável para escritórios, pois o branco não estimula a criatividade.

Loft JD, Bruna Pires, 2018. Fotografia: Manuel Sá
Loft JD, Bruna Pires, 2018. Fotografia: Manuel Sá

– Preto: atualmente vem sendo uma cor bem usada nos projetos de interiores por passar a sensação de sofisticação e modernidade. Ao mesmo tempo em que é conservador, torna-se inovador, transmitindo seriedade e prudência. Trata-se de uma cor com certo aspecto paradoxo, pois envolve diversos conceitos que são, muitas vezes, opostos. Além disso, o preto cria o sentimento de frieza e torna o ambiente ameaçador (em certas situações). Por essa mistura de sentimentos é indicado a ser usado em objetos ou detalhes do ambiente e não propriamente nas paredes. Ressalta-se que o preto é uma cor muito usada em espaços comerciais, mas nada impede que seja utilizado em um ambiente residencial, porém com a devida ponderação, isto é, em pontos específicos acompanhado de uma cor clara para deixar o ambiente mais leve.

Apartamento São Paulo, Flipê Arquitetura, 2019. Fotografia: Carolina Lacaz
Apartamento São Paulo, Flipê Arquitetura, 2019. Fotografia: Carolina Lacaz

– Cinza: é o queridinho, de uns anos para cá. Uma cor sóbria que transmite sensação de bem estar e equilíbrio. É formal, flexível e agradável ao mesmo tempo. Usado em quase todos os ambientes e quando combinado com outra cor fica ainda melhor.

Apartamento Arch 78, Bohrer Arquitetura, 2020 Fotografia: Fellipe Lima
Apartamento Arch 78, Bohrer Arquitetura, 2020 Fotografia: Fellipe Lima

– Vermelho: apesar de ser uma cor quente, expressar calor, paixão, atração e sedução, estimula, induz a ação e nos transmite a sensação de perigo ou medo. Por essas características é uma cor que deve ser usada com cautela, mas quando bem aplicada, torna-se única. Geralmente indicada para a aplicação em um objeto que se queira destacar. Indicado para lugares que envolva criação, produção e alimentação. Pouco indicado para espaços relaxantes e de lazer.

Escritório Petrópolis, Arquitetura Nacional, 2019 Fotografia: Cristiano Bauce
Escritório Petrópolis, Arquitetura Nacional, 2019 Fotografia: Cristiano Bauce

– Laranja: muito próximo ao vermelho, porém mais amigável. O laranja, apesar de ser uma cor chamativa, é mais luminoso que o vermelho. Transmite a sensação de criatividade, comunicação, vitalidade, ânimo, dinamismo, sendo estimulante físico e mental. Pode ser usado em lugares de estudo, alimentação, de criação e espaço lúdico.

Apartamento Tetrys 607, CR2 Arquitetura, 2019 Fotografia: Cris Farhat
Apartamento Tetrys 607, CR2 Arquitetura, 2019 Fotografia: Cris Farhat

– Amarelo: sempre se destaca por ser alegre, quente, iluminante, estimulante, amigável e radiante. Porém, se usado em exagero pode se tornar cansativo. Harmoniza com cores mais frias, gerando um equilíbrio interessante. Pode ser usado em ambientes como cozinha, espaço lúdico, escritório e outros locais que precisam de estímulo para desenvolvimento das atividades.

Apartamento Duplex Ipiranga, Pietro Terlizzi Arquitetura, 2018. Fotografia: Guilherme Pucci
Apartamento Duplex Ipiranga, Pietro Terlizzi Arquitetura, 2018. Fotografia: Guilherme Pucci

– Verde: uma cor que vem ganhando bastante espaço a cada ano (principalmente o verde pastel e verde esmeralda). É campeão no quesito calmante, induzindo o relaxamento, a tranquilidade, o equilíbrio, a harmonia, a pureza e saúde. Pode ser aplicado em todos os ambientes por ser uma cor agradável e confortável.

Apartamento ME, Victoria Rizzo Arquitetura, 2018. Fotografia: Marcelo Donadussi
Apartamento ME, Victoria Rizzo Arquitetura, 2018. Fotografia: Marcelo Donadussi

– Azul: uma cor que está cada vez mais se destacando, por isso foi considerada a cor do Pantone 2020 (Classic Blue). O azul é uma cor que transmite várias sensações. Ao mesmo tempo em que é frio, transmite sensação de segurança e calma; torna o local relaxante, além de ser uma cor extremamente sofisticada e nobre. Indicado para lugares onde se queira uma sensação de calmaria, podendo ser aplicado em todos os ambientes.

Apartamento Cesar Zama, Caco Cruz, LVPN Arquitetura, 2018. Fotografia: FLAGRANTE/ Romullo Baratto Fontenelle
Apartamento Cesar Zama, Caco Cruz, LVPN Arquitetura, 2018. Fotografia: FLAGRANTE/ Romullo Baratto Fontenelle

– Roxo ou violeta- assim como o azul é uma cor fria, mas pode ser relaxante e suave. É uma cor com certa peculiaridade, por isso sua aceitação é seletiva. Indicado para se usar em objetos de destaque, mas quando aplicado em alguma parede deve-se usar uma linha mais suave dessa cor, mesclando-se com outra cor.

Casa AVE, Caco Cruz, Arquiteto Martín Dulanto , 2014. Fotografia: Juan Solano Ojasi
Casa AVE, Caco Cruz, Arquiteto Martín Dulanto , 2014. Fotografia: Juan Solano Ojasi

– Cores Neutras: o famoso bege ou creme proporciona ótimos resultados e, para os básicos ou indecisos, é uma ótima opção. Tons neutros podem ser usados em todos os ambientes, pois eles concorrem bem com o branco, mas, ao contrário deste, são muito bons para otimizar a claridade.

Casa Living Praia de Mar Grande, Daniela Lopes Interior Design, 2019. Fotografia: Lucas Assis
Casa Living Praia de Mar Grande, Daniela Lopes Interior Design, 2019. Fotografia: Lucas Assis

É evidente que as cores têm forte poder emocional no interior do ambiente, contudo, ao colocar cores no seu ambiente deve-se considerar o que cada cor transmite e qual a iluminação terá no ambiente. Assim, o projeto deve ser coeso para conseguir que cada cor gere o efeito pretendido. E aí, qual cor você escolheu para seu ambiente?

O conteúdo dos textos das colunas do Portal são de inteira responsabilidade dos seus autores originais

Avalie esse post:
[Total: 1   Average: 5/5]

Siga nossa página no instagram e fique por dentro das novidades

@moveisparacasa.oficial
Colunistas

Cadastre-se para receber tudo sobre móveis

Você também pode se interessar por:

Cadeiras zero gravidade, ideais para relaxar

Móveis para crianças: itens que vão além do básico

Qual cadeira escolher para trabalhar em home office?