×

Decoração segura para crianças e idosos

Saiba como tornar a decoração segura em ambientes residenciais com dicas simples das arquitetas Claudia Yamada e Monike Lafuente

Publicado em 07/02/2023 | Por_Júlia Magalhães

Sentir-se seguro em casa é primazia – e quando falamos de segurança, também é preciso ter atenção nos móveis e sua disposição no ambiente. Afinal, algumas arestas representar um perigo, principalmente para as crianças e os idosos. Para entendermos melhor os pontos onde acidentes podem acontecer e como evitá-los, a dupla Claudia Yamada e Monike Lafuente, arquitetas do Studio Tan-gram, selecionaram questões e dicas para tornar a decoração segura.

Evitando as pontas vivas

Mamães de crianças pequenas, Claudia e Monike sabem que um dos principais riscos que desafiam os pais são as pontas salientes do mobiliário. Quando os pequenos conquistam autonomia para dar seus primeiros passos e caminhar, essa jornada é cheia de tropeços. Peças com quinas e ângulos de 90 graus devem ser evitadas no décor, principalmente durante a primeira infância.

“Móveis com pontas são bem perigosos para os bebês que estão aprendendo a andar, equilibrar e que adoram correr e brincar pela casa. O ideal é optar pelos que têm acabamentos mais arredondados”, explica Monike. Entretanto, tanto ela, como Claudia, sabe que nem sempre é possível substituir toda a estrutura que já existia antes do nascimento de um filho.

Dessa forma, artifícios encontrados no mercado, como os protetores de plástico ou silicone, que são de grande valia para a tranquilidade dos pais e a integridade física das crianças. “Outra possibilidade é movimentar os móveis e deixar os mais perigosos em áreas com acesso mais restrito e sempre longe do caminho principal”, orientam as profissionais.

Com a instalação de protetores de silicone, as quinas das prateleiras inferiores desse móvel foram revestidas e deixaram de ser um risco iminente. Normalmente, os protetores – sejam de plástico ou de silicone – são discretos e não apresentam valores elevados | Projeto: Studio Tan-gram |FOTO: Estúdio São Paulo

O material do mobiliário

Ainda na questão mobiliário, outra dúvida recorrente diz respeito aos materiais mais indicados para residências com crianças ou idosos. De acordo com Monike e Claudia, muitas pessoas pontuam o vidro como vilão, mas não necessariamente ele corresponde à sinalização de perigo constante. “É claro que, se forem muito frágeis, finos e pontudos, devem ser desconsiderados”, alertam. Entretanto, o vidro temperado, comumente mais espesso, é resistente para suportar as atividades do dia a dia, sem riscos.

Outra dica importante é evitar objetos pequenos e decorativos em evidência. A depender da fragilidade das peças, podem ser um risco considerável para a saúde das crianças.

Deixar locais de passagem relaxados com ampla circulação é ideal para os idosos, assim como para as crianças. Assim, o desvio do mobiliário não é necessário, mitigando a possibilidade de esbarrões, tropeços e quedas. | Projeto: Studio Tan-gram | FOTO: Estúdio São Paulo

A segurança nos dormitórios dos pequenos

Para o dormitório das crianças, uma série de medidas simples podem ser tomadas para que acidentes sejam evitados. Em primeiro lugar, elas advertem: “quanto menos itens, melhor!”.

Durante o crescimento e o aprendizado das crianças, é normal que o quarto seja parte do universo de exploração delas. Portanto, é fundamental que o décor não atrapalhe suas atividades e ofereça risco à segurança. “Dessa forma, os responsáveis podem realizar as tarefas domésticas com mais tranquilidade, sem a preocupação de toda hora conferir para ver se nada de errado está acontecendo”, orienta Claudia, tanto por sua experiência profissional, como por ser mamãe da Liz.

Para os móveis, quanto mais arredondado o acabamento, maior a proteção. As dobradiças e corrediças com amortecimento são excelentes para evitar que a turminha prenda os dedos em momentos completamente doloridos.

O mobiliário dos dormitórios dos pequenos deve ser sem cantos vivos, com todo acabamento das quinas e laterais arredondados. Além da proteção e da necessidade do artifício para a segurança, o design orgânico acaba ficando lúdico e compondo muito bem com a atmosfera acolhedora e aconchegante dos quartinhos das crianças. | Projeto: Studio Tan-gram | FOTO: Estúdio São Paulo

Cautela também para a terceira idade

Os idosos também constituem um grupo de atenção no décor residencial. Para tanto, as dicas voltadas para o público infantil também se aplicam a eles. “Desníveis e degraus, assim como tapetes escorregadios ou com pontas levantadas são responsáveis por muitos problemas em casa”, ressaltam.

(com informações de assessoria de imprensa)

Avalie esse post:

Siga nossa página no instagram e fique por dentro das novidades

@moveisparacasa.oficial
Móveis por ambiente

Cadastre-se para receber tudo sobre móveis

    Você também pode se interessar por:

    Entenda a tendência de decoração em 2024: o maximalismo